Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Cadeia produtiva do calçado utilizará mesmo padrão de códigos para identificar produtos

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) assinaram durante a Couromoda convênio para implantação de uma plataforma virtual de identificação de produtos na cadeia produtiva do calçado, envolvendo dos fornecedores de matéria-prima ao varejo.

Dirigentes de entidades apresentaram detalhes da Plataforma GOL

Estiveram presentes à cerimônia o vice-presidente da Abicalçados, Paulo Grings (representando o presidente Milton Cardoso), os diretores da ABDI, Jorge Boeira e Clayton Campanhola, o presidente da Assintecal, Oséias Schroeder, e Virgínia Villaescusa, assessora da GS1 Brasil, entidades que também integram o projeto.

A plataforma GOL – como é denominada a nova tecnologia – utilizará como base o padrão de código de barras desenvolvido pelo Grupo de Otimização Logística do Setor Calçadista, que atua há dez anos e já obteve resultados importantes na integração eletrônica entre as empresas que produzem suprimentos para calçados e as que os compram.
O objetivo, agora, é estender a padronização ao varejo de calçados e, assim, completar o ciclo de integração eletrônica, oportunizando maior eficiência, maior competitividade, redução de custos e maior velocidade nas operações logísticas da cadeia produtiva. “Vamos utilizar códigos internacionais de identificação e codificação eletrônica baseados nas melhores práticas mundiais”, disse o coordenador do GOL, Rosnaldo Inácio da Silva.

O projeto de implantação terá três etapas. Na primeira, serão revisados e melhorados os processos logísticos já existentes. Na segunda, o foco será a transmissão eletrônica de informações através de um modelo único baseado na ISO 9375. A terceira fase envolverá a identificação de produtos com mesmo código de barras.

Cumpridas estas etapas, serão iniciados o desenvolvimento propriamente dito da plataforma, a cargo de uma empresa especializada e da equipe técnica do GOL, a fase de implantação e, depois, a capacitação e o treinamento de profissionais de 150 empresas calçadistas e fornecedoras.

A etapa de implantação envolverá diretamente o varejo de calçados e terá participação do Sebrae Nacional, a quem caberá a tarefa de capacitar os profissionais das lojas para utilização do código de barras comum. Atualmente muitas lojas ainda utilizam códigos próprios de identificação de produtos, chamados de proprietários, que são fornecidos às indústrias para colocação nos produtos. Estes códigos precisam ser redigitados por ocasião do recebimento das mercadorias, gerando, retrabalho e, muitas vezes, erros.

Com a entrada em operação da Plataforma GOL, o código de barras será padronizado em todas as etapas, das empresas fornecedoras (passando pelas industriais calçadistas ) ao varejo de calçados.
“Trata-se de um projeto que estabelece uma direção única à toda a cadeia produtiva do calçado”, enfatizou o vice-presidente da Abicalçados, Paulo Grings. “O uso de padrão único elevará a competitividade das indústrias e do varejo”, acrescentou o diretor da ABDI, Jorge Boeira. Para o também diretor da ABDI, Clayton Campanhola, o apoio da agência ao projeto está em sintonia com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva e torná-la mais preparada para enfrentar os obstáculos e as oportunidades. “A economia brasileira vai continuar crescendo acima da média dos países em desenvolvimento e todos os segmentos precisam estar preparados para ampliar sua participação tanto no mercado interno quanto no externo”, conclui.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES