Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Calçados: marcas chinesas chegam à Europa

As marcas de luxo vão para a China à procura de quem faça seus sapatos, já as marcas chinesas chegam à Europa para conquistar o espaço das marcas europeias. Segundo o Business of Fashion, é o caso do Stella International Holdings, produtor asiático de calçados para colossos como Prada e LVMH, que parece estar pronto para se concentrar no mercado europeu com abertura de duas lojas em Paris e um plano de expansão para todo o Velho Continente. 

Na realidade, o terceirizado já desenvolve na China desde 2006 as próprias marcas (Stella Luna, What For e mais recentemente JKJY) e entre Ásia e Oriente Médio já conta com 400 lojas. Na Europa, porém, por enquanto, está presente com apenas uma loja, no Boulevard Saint-Germain em Paris, mas espera ampliar os domínios de modo significativo nos próximos seis meses.

Fundado em Taiwan em 1982 e na Bolsa de Hong Kong desde 2007, Stella tem entre seus clientes marcas de Prada a Burberry, de Vera Wang a Bally, de Michael Kors a Brian Atwood. Mas, de acordo com o site da companhia, a empresa produz também para marcas mais informais, como Clarks, Ecco, Rockport e Timberland. “A Stella deseja ser uma marca internacional e almeja desenvolver um projeto de luxo acessível”, diz o CEO, Stephen Chi. 

Na realidade, na loja de Paris, Stella propõe sapatos com preços entre 250 e 600 euros, valores que correspondem a cerca de um terço de um par com assinatura Prada. Para eliminar toda possibilidade de concorrência às marcas das quais é terceirizado, o próprio Chi apressou-se em declarar: “Não somos nem Prada, nem Givenchy, nem Miu Miu. Queremos simplesmente nos tornar a melhor marca em circulação em termos de relação qualidade-preço”.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES