Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Exportações de couro atingem valor histórico em outubro

É de US$ 235 milhões o valor das exportações brasileiras de couros e peles no mês de outubro, conforme dados preliminares da Secretaria de Comércio Exterior, ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Trata-se de um valor recorde de exportações de couros do Brasil em um único mês.

Os números apontam alta de 27,4% em valores em relação ao mesmo mês do ano passado, resultando em um crescimento de 19% no acumulado de janeiro a outubro, em comparação a 2012. Em relação a setembro deste ano, o crescimento chega a 5,9% e o acumulado de janeiro a outubro totaliza receita de US$ 2,053 bilhão.

Apesar dos números positivos, o presidente executivo do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), José Fernando Bello, destaca que a possibilidade de não haver a prorrogação do Reintegra (Regime Especial de Reintegração de Valores Tributários para as Empresas Exportadoras), cujo encerramento está previsto para o final de 2013, pode impactar o setor de curtumes e os resultados a partir de janeiro.

O Reintegra foi criado para compensar resíduos tributários nas exportações, proporcionando à empresa exportadora o recebimento de um crédito equivalente a 3% da receita de venda de produtos acabados ao mercado externo. Com o fim deste programa, a competitividade do couro brasileiro no mercado internacional pode ficar seriamente comprometida.

Outro ponto que preocupa o CICB é a exclusão do Brasil do Sistema Geral de Preferência da União Europeia (SGP), a partir de janeiro próximo. “Com isso, deve haver um acréscimo de custos de cerca de 3,5% para os produtos exportados para esse mercado, que responde por 36% das vendas internacionais brasileiras de couros e peles”, destaca Bello. O gestor sublinha que uma série de ações tem sido organizada ao lado de entidades representativas do setor e lideranças políticas do setor industrial para reverter essa situação.

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES