Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Jaú tem potencial para ampliar produção e projeta um 2015 melhor que o ano anterior

O polo calçadista de Jaú, que conta com cerca de 200 indústrias de sapatos, tem um grande potencial para ampliar sua produção, na medida que tem estrutura instalada pronta para se acionada caso o mercado reaja positivamente. “Apesar de terem uma capacidade instalada de 120 mil pares ao dia, as fábricas locais produzem apenas a metade do que poderiam, resultado da retração do mercado”, explica o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados (Sindicalçados), Osvaldo Nálio.

Nálio – que dirige a Valéria Prado, com 24 anos de atividades – afirma que as empresas estão adotando medidas internas e buscando alternativas para adequarem suas atividades aos atuais níveis de compra dos lojistas, que são menores e mais frequentes. A Valéria Prado, por exemplo, optou por produzir para duas grandes marcas nacionais, que já recebem cerca de 40% da produção.

Além das vendas menores, as indústrias de Jaú enfrentam outro problema: a falta de trabalhadores, que optam por atuar no comércio e em outros segmentos. Para reverter o quadro, o Sindicalçados está desenvolvendo uma campanha para atrair candidatos. Com o slogan "Queremos seu talento de especialista", a iniciativa divulga as vagas disponíveis e convida os interessados a irem à entidade para conhecer as oportunidades oferecidas.

Em outra iniciativa, juntamente com o Sebrae/SP, o sindicato tenta promover cursos de formação de novos sapateiros. “Ao contrário do curso de mecânica de automóveis, cujas 80 vagas são preenchidas rapidamente, não conseguimos realizá-lo até agora simplesmente porque não há interessados”, lamenta o presidente. Igual dificuldade, conforme ele, as empresas enfrentam para preencher as cotas para pessoas com necessidades especiais e jovens aprendizes.

 
Participação na Couromoda para melhorar o otimismo

Polo produtor de calçados femininos, Jaú – cidade de 140 mil habitantes a 300 km de São Paulo – esteve presente na Couromoda 2015 com 20 indústrias. Seis delas participarão de um estande coletivo de 150 m² e 14, em áreas individuais.Diferente de empresas que, equivocadamente, reduzem as equipes de atendimento no último dia de feira, a Neftali mantém todos a postos e costuma realizar bons negócios também no quarto dia da Couromoda. Luís Antônio Carlos, diretor de marketing da indústria jauense, revela que “fazer uma feira boa ou ruim leva o mesmo tempo. Nós criamos um ambiente favorável para atrair lojistas e importadores.” Ele também destacou como positivas a segmentação da feira e a realização em novo local, o Expo Center Norte. Na Couromoda, a grife apresentou novidades em sua linha de sapatos clinic comfort. Além de uma coleção certa, os visitantes encontraram no estande uma equipe motivada e um ambiente favorável às compras. Para promover as vendas da coleção de inverno, a empresa lançou uma nova edição de sua própria revista e desenvolveu diversos materiais para o PDV. Além disso, o novo catálogo de produtos, que contém informações adicionais, foi apresentado.

Projeção positiva para 2015
Voltada ao segmento de calçados para butiques, a Spandere Indústria e Comércio de Calçados participou pela sétima vez consecutiva da Couromoda. Rasteiras, sandálias e sapatilhas formaram o mix de produtos que os lojistas tiveram oportunidade de conhecer e adquirir no evento. Muitos deles costumam visitar a fábrica ainda em dezembro para fazer os primeiros pedidos. Com 40 funcionários e uma unidade fabril bem-equipada, a Spandere projeta para 2015 um ano melhor do que foi 2014. “Acreditamos numa reação do mercado”, enfatiza o diretor Carlos Eduardo Fuzer. Os principais mercados em que seus produtos estão presentes são as regiões sul e sudeste, onde butiques os comercializam a preços que variam de R$ 89,90 a 129,90. A Spandere possui três lojas próprias – duas em Jaú e uma em Bauru – que atendem a consumidoras das duas cidades e atuam como uma espécie de laboratório de testes dos produtos. Conforme Fuzer, novas operações estão previstas para o próximo ano.

Preço determina opção dos lojistas
A expectativa do diretor da Código Cem, Paulo Salmazo, também é positiva para 2015, especialmente para o segundo semestre de 2015, quando os negócios deverão retomar a normalidade baseados no quesito preço. “Preço, hoje, é fator determinante para os lojistas”, afirma Salmazo. Por isso, segundo ele, a empresa desenvolveu uma linha de sandálias em material sintético para brigar pelo mercado com os concorrentes. A novidade adequada ao clima tropical do País foi bem aceita por lojistas e consumidoras, o que resultou em boas vendas. “Tivemos um primeiro semestre muito bom, que nos obrigou a muitas horas extras de trabalho. O segundo, por sua vez, foi muito ‘brigado’, com muitas viagens de negócios pelo país”, acrescenta Salmazo. Na Couromoda 2015, a empresa lançou sua coleção inverno, com várias linhas, entre elas coturno e botas com foco em conforto e escarpins com salto.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES