Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Negócios podem chegar a USS 10 milhões, mas visitação poderia ser maior

Realizada de 30 de julho a 1º de gosto, a GDS – Global Destination for Shoes & Accessories deve render às 24 marcas brasileiras presentes no evento negócios na ordem de US$ 10 milhões, nos próximos 12 meses. Os fabricantes fizeram 433 contatos, sendo 182 deles novos. 
Uma das preocupações que antecederam a feira se confirmou: vieram menos visitantes, em especial de países do Oriente Médio, pela coincidência com o fim do Ramadã, período sagrado para os muçulmanos. (Clique aqui e leia mais)

Segundo o representante da Piccadilly, Felippe Tiago Fleck, o único ponto que precisa ser revisto pela organização da GDS é a data, que acabou afastando os clientes desta região. "Infelizmente só atendemos um dos nossos clientes árabes e agora precisaremos fazer um showroom em Dubai para poder atender os demais. " O mesmo coro foi reforçado pela maioria dos expositores brasileiros. "O novo formato foi muito bom, porém a mostra poderia ser duas semanas mais tarde", comentou Arthur Batista, trader da Stéphanie Classic.

Ainda assim, a Piccadilly fechou negócios com clientes da Nova Caledônia, Bahrein e Alemanha, além de fazer contatos com compradores de países como Bélgica, Rússia, Bósnia, Servia, Israel e Bulgária. Segundo Fleck, a Piccadilly está com um planejamento para investir no mercado alemão. A empresa contratou um vendedor local, segue em busca de mais vendedores e está com um trabalho de assessoria de imprensa com duas profissionais do País. "Através das nossas ações de marketing e imagem, estamos atraindo lojistas. A Alemanha tem potencial de consumo e o nosso produto agrada embora seja sintético. Agora vamos fazer todo um esforço para quebrar esse paradigma do material para alavancar mais as vendas", ressalta.

Investimento pré-feira garantiu melhores resultados 
"A feira trouxe resultados muito bons para as empresas que investiram no pré-evento, convidaram seus contatos e fizeram a lição de casa. A Alemanha tem uma economia estável e sentimos que temos boas perspectivas no mercado, que está aberto a novidades e com um consumo interno em crescimento", avalia Patrícia Ledur, analista de Promoção Comercial da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).

Feliz com os resultados alcançados, a Grendene colheu bons frutos no mercado alemão, onde iniciou o trabalho com um novo representante local. A empresa, que levou as marcas Rider, Ipanema, Zaxy e Grendha, fechou cerca de 40 pedidos, 95% deles para a Alemanha. "Nosso estande esteve sempre cheio durante a feira, que é uma vitrine para as nossas marcas. Acredito que alcançamos a meta, uma vez que esta edição superou a do verão passado", destaca Gisela Carbolin, trader da Grendene. Pelo estande, passaram compradores da Holanda, Bélgica, Espanha, Portugal, Grécia, Turquia, Rússia, Armênia, África do Sul, entre outros importadores de diferentes países.

Com um trabalho forte na Alemanha, a Wirth também sai da GDS com a sensação de dever cumprido. De acordo com Maurício Wendling, diretor comercial, a empresa fechou pedidos com Alemanha, Paquistão, Bulgária, Israel e Irlanda. "Nosso distribuidor alemão faz um trabalho muito forte aqui, tanto que 70% dos pedidos feitos foram para o mercado alemão. Além disso, a feira está nos ajudando a abrir o mercado japonês. Nos próximos dias, uma rede de 10 lojas deve concretizar o pedido", conta.

No segmento masculino, a Sapatoterapia vendeu para compradores da Arábia Saudita, Líbano, Rússia, Estados Unidos e Suriname. "Embora a movimentação tenha sido mais fraca em comparação com a edição correspondente no ano passado, a feira nos rendeu bons contatos que devemos finalizar os pedidos na Micam, na Itália. Nossa localização também está muito boa e isso refletiu em visitantes novos", frisa Daniel Figueiredo, gerente de exportação. 

Jeferson Santos, diretor da Couromoda, que marcou presença na feira alemã, com um estande da Couromoda e muito material da feira brasileira, compartilha da mesma opinião: “Mesmo com mudanças, a GDS enfrentou dificuldades em sua visitação. No entanto, as marcas que se preparam para a feira, fizeram a ‘lição de casa’, com um trabalho de marketing e divulgação pré-feira junto a sua carteira de clientes, tiveram melhores resultados”. 

Também participaram da GDS as marcas Anatomic & Co, Dumond, Lillys Closet, Ortopé, Bibi, Beira Rio, Vizzano, Molekinha, Moleca, BR Sport, Pegada, Ramarim, Super Star, Amazonas Sandals, Azaleia e Dijean. Todas elas participam da feira apoiadas pelo Brazilian Footwear, programa de incentivo às exportações de calçados nacionais, desenvolvido pela Abicalçados em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A próxima GDS ocorre de 4 a 6 de fevereiro.

Leia também
GDS: resultado dentro do previsto para uma edição que trouxe novos conceitos e antecipação de data
Couromoda participa da GDS e amplia relacionamento com o setor calçadista internacional
Brasil mostra sua moda na GDS com 23 marcas de calçados e acessórios

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES