Home > Notícias
11/10/2019

A valsa das licenças de importantes marcas calçadistas na Itália agita o mercado

O sapato italiano está em movimento. Apesar das dificuldades econômicas, o setor recebeu duas notícias importantes nas últimas horas. Uma delas vem diretamente da Micam 88 e se refere à dimensão renovada da marca histórica Alberto Guardiani da região de Marche. A outra diz respeito a um marco daquilo que, nas últimas temporadas, tem sido frequentemente comentado, pelo dinamismo e criatividade: Giannico.

Zeis Excelsa e BluMore (proprietário da marca Alberto Guardiani) assinaram uma licença “para a produção e distribuição global da linha de tênis Guardiani”. Com duração de 5 anos. A primeira coleção foi exibida na Micam 88 “de acordo com as demandas do mercado e com uma excelente relação custo/benefício”, declarou o comunicado da Zeis Excelsa.
O Autre Chose, por sua vez, adquiriuGiannico.

A empresa sediada em Marche, controlada pelo fundo Sator desde 2013, detém 100% da empresa ADN liderada pela marca de calçados de luxo fundada em 2013 por Nicolò Beretta, responsável há exatamente um ano pela liderança criativa da L’Autre Chose. A Sator já estava presente no capital da Giannico desde 2013, quando adquiriu 35%. Agora, o fundo, por meio da L’Autre Chose, concluiu a operação de aquisição por um valor não divulgado.

Leia também:
Armani, Fendi, Oscar de la Renta e Tod´s mostram seu verão nas passarelas de Milão e Nova Iorque
Confira uma seleção com os sapatos mais bonitos apresentados pelas principais marcas nas passarelas internacionais
França: chega a lei “antidesperdício”, que deve afetar o segmento de moda
Lineapelle: uma edição alinhada aos novos tempos do setor coureiro