Home > Notícias
21/06/2019

Albânia: trabalhadores emigram e mão de obra barata para o calçado se reduz

Os novos fluxos migratórios diminuem em calçado e revestimentos na Albânia. Em Tirana e nas províncias vizinhas, a indústria de calçados e roupas emprega atualmente cerca de 100 mil pessoas, mas o número está caindo e os empreendedores também estão começando a relatar a dificuldade em encontrar mão de obra.

Nos últimos cinco anos, o país experienciou uma nova onda de migração, de acordo com o mais recente relatório do Banco Europeu para a Reconstrução e  Desenvolvimento (BERD). A Albania News informa que os custos do trabalho são 10 vezes menores que a média da UE.

Segundo dados publicados pelo Eurostat, os trabalhadores albaneses tinham um salário mínimo mensal de 210 euros em 2018, o menor da Europa. Na Área dos Bálcãs, as médias são de 282 euros na Macedônia, 288 no Montenegro e 308 na Sérvia.

Os salários muito baixos, por um lado atraíram empresas de manufatura (que também trabalham para o mercado italiano); por outro, induzem jovens albaneses a buscar sua fortuna em outro lugar.

Leia também:
Top 10 dos gigantes do varejo mundial de calçados
Kering faz as pazes com as autoridades fiscais italianas em operação que envolve pagamento de 1,25 bilhão de euros
Louboutin e a sandália paquistanesa, uma nova polêmica de apropriação cultural
Geox: o novo Conselho de Administração tem Mario Moretti Polegato na presidência
Albânia: trabalhadores emigram e mão de obra barata para o calçado se reduz