Home > Notícias
06/08/2019

Em missão, Kidy e Hiersun criam joint venture para exportar para China

A Kidy Calçados e a rede chinesa de joalherias Hiersun assinaram nesta segunda-feira, dia 5, na China, a criação de uma joint venture para exportar calçados do Brasil para a China. O plano da empresa é embarcar 240 mil pares ao longo dos próximos 12 meses, elevar para 480 mil pares no segundo ano de operação e estabilizar as exportações em 60 mil pares por mês no terceiro ano da parceria.

Especializada em calçados infantis, a Kidy fabricará os produtos em suas unidades de Birigui (SP) e Três Lagoas (MS) em couro e pedraria, que serão comercializados como artigos de luxo pela rede de 750 pontos de venda de luxo e joias da Hiersun na China. “Dar esse passo é importante não só para a Kidy, mas também para o calçado brasileiro, visto que estamos levando o nosso jeito de produzir com excelência para todo o mundo”, afirma Ricardo Gracia, sócio e diretor de desenvolvimento e inovação da Kidy Calçados.

A parceria entre as duas empresas foi a primeira iniciativa do escritório da InvestSP, a agência de promoção de investimentos do Estado de São Paulo, instalado em Shangai. “Estamos muito satisfeitos em anunciar o acordo entre as duas empresas. Esse é o tipo de trabalho e iniciativa que nosso escritório passará a ter a partir de agora aqui na China. Tenho certeza de que esse é apenas o primeiro de muitos negócios que realizaremos por aqui”, afirma Wilson Mello, presidente da InvestSP.

A inauguração do escritório da agência paulista de promoção de investimentos faz parte da agenda do governador João Doria e da missão empresarial que está na China desde ontem. Um grupo de 31 empresas dos principais setores da economia paulista, juntamente com o governador cinco secretários de Estado (Agricultura, Planejamento e Fazenda, Desenvolvimento Econômico, Transportes Metropolitanos e Relações Internacionais) visitarão Beijing, Xian e Shangai até o próximo sábado.

“O objetivo da missão é promover a relação comercial entre os dois países e por isso organizamos uma série de rodadas de negócios entre empresas brasileiras e chinesas pelas cidades que passaremos. Além disso, vamos aproveitar o momento para apresentar a investidores e empresas chinesas as oportunidades de investimento existentes em nosso Estado”, afirma Mello.