Home > Notícias
22/06/2022

Empregos e exportação em forte alta no setor calçadista

A indústria calçadista brasileira gerou mais de 20 mil postos de trabalho entre os meses de janeiro e abril. Os dados foram elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) com base nas informações oficiais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Com o saldo positivo, o setor soma 286,28 mil pessoas empregadas diretamente na atividade, 16% mais do que no mesmo período do ano passado. O número também é praticamente igual ao registrado no mesmo intervalo na pré-pandemia, em 2019, apontando para a recuperação no estoque de empregos do setor.

O estado que mais emprega na atividade é o Rio Grande do Sul. Respondendo por quase 30% do total de postos gerados no Brasil, as fábricas gaúchas criaram 6,3 mil postos entre janeiro e abril, somando 82,16 mil pessoas empregadas na atividade. O número é 13,7% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

O segundo estado que mais emprega no Brasil é o Ceará, que criou 1,8 mil vagas no primeiro quadrimestre do ano. Com isso, as fábricas cearenses encerraram abril com mais de 63,3 mil pessoas empregadas diretamente no setor, 9% mais do que no mesmo período de 2021.

Na terceira posição entre os maiores empregadores do setor calçadista no Brasil, a Bahia criou 3,5 mil postos entre janeiro e abril, somando 39,2 mil trabalhadores na atividade. O número é 31,3% maior do que o registro do mesmo período do ano passado.

Quarto maior empregador brasileiro na atividade, São Paulo registrou a criação de 4 mil vagas no primeiro quadrimestre, somando um total de 32,8 mil pessoas empregadas no setor calçadista. O registro é 22% maior do que o apontado no mesmo intervalo de 2021.


Até abril, 20 mil postos de trabalho foram criados; vendas externas cresceram 66,5% em receita, de janeiro a maio

EXPORTAÇÃO
Em relação às vendas externas, dados elaborados pela Abicalçados apontam que, entre janeiro e maio, as exportações de calçados somaram 64,24 milhões de pares, que geraram US$ 538,72 milhões, elevações de 30,3% em volume e de 66,5% em receita na relação com igual período do ano passado. Segregando apenas o mês de maio, os embarques somaram 10,5 milhões de pares, que geraram US$ 104 milhões, incrementos de 19,8% e de 59,5%, respectivamente, ante o mês cinco de 2021.

Os principais mercados do calçado brasileiro no exterior são Estados Unidos, para onde foram enviados  10 milhões de pares, que geraram US$ 146,3 milhões, altas tanto em volume (+87,2%) quanto em receita (+108,6%); Argentina, destino de 6,82 milhões de pares, que geraram US$ 74,62 milhões, incrementos de 64% e 93,7%; e França, que no período importou 4 milhões de pares por US$ 29,4 milhões, altas de 31% em volume e de 25,2% em receita.