Home > Notícias
13/12/2019

Implementado o H&M Rental Service, serviço de aluguel de itens de moda

A mais recente participante do mercado - em rápido desenvolvimento - do aluguel de itens de moda é a gigante sueca de moda rápida H&M, com uma coleção de vestidos de noite do arquivo. A maior novidade da H&M é, sem dúvida, representada pela implementação do H&M Rental Service, uma seleção de cerca de 50 vestidos elegantes, vestidos de noiva e tops exóticos que podem ser alugados por uma semana por membros do programa de fidelidade da H&M por 350 coroas suecas (35 euros) por peça.

Os tamanhos variam de 34 a 48, e o preço original dos itens varia de 599 coroas (60 euros) a 3.000 coroas (300 euros). “Nosso projeto de circulação foi lançado há três anos. Hoje queremos testar um serviço de aluguel. Acreditamos no seu potencial para itens caros e excepcionais. Esses artigos foram escolhidos precisamente porque são mais caros e costumam servir apenas uma vez”, explica Pascal Brun, diretor de desenvolvimento sustentável da H&M.

O conceito será testado por três meses e poderá ser estendido posteriormente para outras lojas, linhas masculinas e acessórios. “Estamos falando de 100, 200, 500 lojas? Sinceramente, por enquanto é muito difícil dizer”, reconhece Pascal Brun. A H&M possui 4.433 lojas no mundo em 71 países diferentes. Mais 145 lojas serão inauguradas este ano. As lojas físicas geram um lucro líquido de 1,2 bilhão de euros para a marca, com vendas líquidas de cerca de 20,3 bilhões de euros.

Atualmente, as empresas de aluguel de roupas, como Rent The Runway, Le Tote e Armoire, estão se expandindo consideravelmente, e os sites de locação on-line devem seguir rapidamente o mesmo caminho. A H&M não pretende ficar de fora desse fenômeno. A empresa sueca pagou a quantia modesta de 25 milhões de euros para comprar uma participação de 72% na plataforma Sellpy, dedicada à venda de itens em segunda mão comprados diretamente de seus clientes.

Dessa forma, a H&M pretende aumentar suas vendas de produtos em segunda mão. Por enquanto, as duas empresas continuam sendo entidades separadas, mas, segundo Pascal Brun, a H&M espera oferecer a seus clientes uma sacola Sellpy para medir em que medida eles provavelmente venderão suas roupas usadas on-line por meio de uma plataforma da H&M.

Leia também:
EUA: dólar forte cria problemas para a moda
LVMH oficializa a compra da Tiffany em negócio que envolve US$ 16,2 bilhões
Micam apresenta tendências na China
O 'renascimento' da La Samaritaine, a catedral do comércio francês