Home > Notícias
02/12/2022

Indústria calçadista gerou 43,5 mil empregos até outubro, totalizando 309,7 mil empregados

Dados do Ministério do Trabalho e Previdência elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que as fábricas calçadistas brasileiras somaram, nos dez meses do ano, 43,5 mil novos postos de trabalho na atividade. Com isso, o setor soma 309,7 mil empregados diretos em todo o País, 12% mais do que no mesmo período do ano passado. Já no comparativo com a pré-pandemia, em 2019, o incremento de 2022 é de 8,8%. Maior empregador do setor calçadista no Brasil, o Rio Grande do Sul somou a geração de 9,4 mil postos de trabalho na atividade nos dez meses do ano. Com isso, a indústria gaúcha encerrou outubro com 85,25 mil pessoas empregadas na atividade, 8,4% mais do que no mesmo período do ano passado. Tendo gerado 8,9 mil empregos na atividade nos dez primeiros meses de 2022, a indústria calçadista do Ceará é a segunda maior empregadora da atividade no Brasil, com um total de 70,4 mil pessoas empregadas, 12,7% mais do que em outubro de 2021. Na sequência entre os principais empregadores da indústria calçadista brasileira aparecem a Bahia, que gerou 8,88 mil empregos no ano e soma 44,57 mil postos no setor (25,2% mais do que em 2021); e São Paulo, que criou 7,4 mil vagas na atividade e soma 36,2 mil pessoas trabalhando na indústria de calçados (13,6% mais do que em 2021).