Home > Notícias
29/11/2019

Influencer: fenômeno que segue em expansão

O fenômeno dos influenciadores não mostra sinais de enfraquecimento e, na verdade, continuará a crescer fortemente. Essa foi a tendência revelada por um estudo realizado pelo Business Insider Intelligence sobre dados Media Kix: o mercado de influenciadores aumentará de 8 bilhões de dólares em 2019 para 15 bilhões até 2022, envolvendo principalmente o chamado ‘canal de marketing de influenciadores ocidentais’, que inclui mais de 1 bilhão de usuários no Instagram.

Esse cenário envolve mudanças, principalmente por parte das empresas que alimentam o sucesso das estrelas sociais de maneira concreta. Os seguidores estão cada vez menos ingênuos e recebem mais ceticamente o conteúdo transmitido nas plataformas on-line, selecionando-os cuidadosamente, distinguindo as mensagens autênticas das excessivamente construídas.

“A complexidade de influenciadores e clientes significa que as marcas precisam ser mais estratégicas do que suas campanhas de marketing”, explica Alison Bringé, diretora de marketing da Launchmetrics, à Vogue Business. “O mercado está muito mais maduro. As marcas não podem simplesmente confiar na esperança de que uma grande campanha leve a um aumento nas vendas anuais”, reitera Ryan Detert, fundador e CEO da empresa Influential AI, que reúne empresas e influenciadores.

Entre as novas estratégias está o nascimento de uma nova figura, cúmplice dos influenciadores, capaz de transmitir as mensagens das empresas da melhor maneira possível: o influenciador-editor. Muitas vezes, são profissionais que já orbitam as publicações tradicionais e sabem como filtrar, selecionar e aprimorar a comunicação, mesmo por meio das redes sociais.

Leia também:
Reunindo 500 criações, exposição dedica ao calçado em Paris segue até fevereiro
Produtos da Nike fora da Amazon, uma separação que vai abalar o mercado
Milão: Fratelli Rossetti chega à Galleria Vittorio Emanuele
Geox: queda preocupante nas vendas das lojas físicas e alta no e-commerce