Home > Notícias
05/08/2019

Pesquisa indica que 63% pretendem comprar calçado de presente para o Dia dos Pais; preço médio será de R$ 179,05 e a classe A lidera com 83,3% de intenção

Segundo o IEMI, o consumo de calçados masculino no varejo brasileiro foi de R$ 16,3 bilhões em 2018, representando 31,5% do valor total (R$ 51,6 bilhões). Em termos de volume, foram vendidos 172,2 milhões de pares, 21,2% do total (812,1 milhões de pares\). Diante destes números, o instituto avançou para saber a intenção de compras especificamente para o Dia dos Pais, que será celebrado em 11 agosto neste ano. A pesquisa foi realizada junto a 1.249 consumidores de calçados, entre junho e julho, e aponta que 65% afirmaram que vão comprar um presente para o Dia dos Pais e 62% garantiram que o calçado será o item escolhido.

Entre as classes sociais, a A é que tem maior intenção de comprar um calçado como presente para o Dia dos Pais: 83,3% afirmaram isso. Depois surgem as classes B (60,5%), C (59,0%) e D/E (58,5%).

As Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste são as que tem maior percentual de entrevistados que vão escolher o item para presentear na data: 63,4%. Depois vem as regões Sudeste (62,8%) e Sul (57,1%).

Os sapatos sociais lideram a preferência, com 26,9% das intenções. Eles são seguidos pelos sapatos casuais (19,6%), sapatênis (16,6%), tênis casual (12,8%), tênis esportivo (9,5%), chinelo (4,9%), sandália (3,6%), bota (2,6%), mocassim (1,6%), chuteira (1,4%) e outros (0,6%).

No que ser refere a canal pretendido para efetuar a quisição, as lojas de shopping são as preferidas (33,2%). Depois surgem o e-commerce (28,3%), lojas de rua (24,1%), lojas de departamento (14,2%) e outros (0,2%).

O valor médio das compras deve ficar em R$ 179,05. Mais de 45%, por exemplo, pretendem comprar presentes entre R$ 100,00 e R$ 200,00. A classe A é a que pretende gastar, em média, maior valor: R$ 262,31 e a Região Sul fica com o presente mais caro, em média: R$ 192,13.

Vendas no Dia dos pais devem crescer 5% em relação a 2018, diz Alshop

De acordo com pesquisa interna realizada pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (ALSHOP) com lojistas associados, o Dia dos Pais, que será celebrado no dia 11 de agosto (domingo), deverá representar um crescimento de 5% nas vendas em comparação com o ano passado. Segundo a entidade, o ticket médio de compras ficará em torno de R$ 160,00.

O Dia dos Pais é considerada a terceira data mais importante para o setor varejista do segundo semestre, ficando atrás apenas do Natal e do Dia das Crianças, que, em volume de vendas, acabam sendo mais representativos. Segundo Luís Augusto Ildefonso da Silva, Diretor Institucional da ALSHOP, como a data cai sempre no segundo domingo de agosto “ela tem um fator positivo que é bater coincidentemente com as liquidações de inverno”.

De acordo com uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 38% das pessoas que comprarão presentes na data admitem que o valor a ser gasto superará o do ano passado. Quanto a isso, Ildefonso explica que “com o preço nas vitrines extremamente convidativos, as pessoas acabam se sentindo mais entusiasmadas para poder gastar um pouco mais”.

Ainda segundo o levantamento da Associação, os segmentos mais procurados serão o de vestuário, calçados, acessórios e perfumaria. A concentração de compras deve ocorrer na semana que antecede a data e, principalmente, dois dias antes.

Para o empresário, a boa previsão para o varejo com as vendas do Dia dos Pais pode ser um alento para o setor no segundo semestre. “O Dia dos Pais é um bom termômetro, pois é o primeiro grande acontecimento do setor no segundo semestre. Este crescimento talvez possa significar para o varejo um semestre mais representativo e com vendas maiores que 2018”, declarou.

E-commerce deve ter faturamento de R$ 2,7 bilhões na data

O dia dos pais deve ter mais presentes e menos “lembrancinhas” este ano. Um levantamento realizado pelo Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, mostra que o faturamento previsto para a data é de R$ 2,7 bilhões, aumento nominal de 15,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

A projeção, que considera o período de 27 de julho a 10 de agosto, mostra que o aumento resulta principalmente do maior número de compras para o período. Este ano, devem ser realizados 6,5 milhões de pedidos (aumento de 9,4% em relação à data em 2018).

Também colabora para o aumento o fato de que o consumidor está disposto a gastar mais do que no ano passado. O tíquete médio para as compras deve ser de R$ 409,00, incremento de 5,2%.

“O aumento representa mais um passo para consolidar o varejo online diante do brasileiro. Mesmo com a retomada econômica lenta, consumidores estão dispostos a gastar mais nessas plataformas, o que já representa um aumento da confiança com o ambiente online. Além disso, os preços competitivos praticados no varejo digital chamam a atenção do comprador, que pode presentear com itens de maior valor agregado”, afirma André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.