Home > Notícias
09/12/2019

Por falar em Black Friday - precisamos aprender com o varejo dos EUA

Diante da ótima repercussão sobre os resultados positivos do varejo, envolvendo praticamente todos os segmentos de mercados, sejam o digital como o físico, achei oportuno escrever algo a respeito e trazer à tona ações promocionais realizadas no maior mercado do mundo: os Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, há 23 datas nacionais, nas quais todo o varejo de alguma forma criativa procura se envolver e agir promocionalmente atraindo consumidores para os pontos de vendas. Conclusão: não dependem só do Natal ou de Black Friday.

Além dessas 23 datas nacionais mais conhecidas (abaixo mencionadas), há milhares de outras datas espalhadas por todo país, envolvendo cidades de todos os portes, regiões e estados. Ou seja, o varejo americano não perde uma única oportunidade para promover e incentivar o consumo e não fica com o umbigo no balcão esperando o consumidor decidir sair de casa para ir às compras!

Interessante que essas datas promocionais, como a Black Friday, não foram “inventadas ou criadas” pelo varejo.
O varejo e serviços americanos, com excelente visão e oportunismo, comandado pelas suas diversas entidades representativas, se “apropriaram” dessas datas criando as promoções comemorativas, incentivando o consumidor a sair de casa, viajar, passear, comer fora e comprar!

No caso específico da BLACK FRIDAY, muito já se escreveu sobre como surgiu e a origem de seu nome. Sem alongar o assunto, apresento um resumo da versão mais aceita:
• O dia de Ação de Graças nos EUA (Thanksgiving Day) é feriado nacional e comemorado sempre na 4ª quinta-feira de novembro.
• Passou a ser emendado por muita gente e empresas não se trabalhando na sexta-feira, criando o que chamamos por aqui de “feriadão”.
• No dia de Ação de Graças - quinta-feira - as famílias, geralmente, permanecem em casa reunidas comemorando essa importante data religiosa americana.
• No dia seguinte – sexta-feira – com o “feriadão”,as ruas e estradas lotam de gente, carros, bicicletas, motos, etc. com movimento bem acima do normal, exigindo atenção redobrada da polícia e controle de transito.
• Nesse feriadão, a cidade de Filadélfia promovia vários eventos, como finais de importantes campeonatos locais, desfiles, shows, etc. atraindo muita gente.
• Diante desse grande movimento, os policiais dessa cidade passaram a chamar esse dia complicado para eles de “sexta-feira negra”, ou a BLACK FRIDAY.
• Diante desse afluxo de “consumidores”, o varejo local passou a disputar atenção dos mesmos ofertando promoções, descontos, vantagens, etc.
• Em pouco tempo essa sexta-feira – BLACK FRIDAY– ficou conhecida como o “dia dos grandes e imperdíveis descontos” e se espalhou pelo pais todo e depois pelo mundo, chegando ao Brasil em 2010, com uma ação isolada envolvendo, apenas, vendas online por 50 lojas!

No mercado americano, na Black Friday, os descontos são altos e reais. São raros os casos de “enganação”. O varejo se preocupa muito com isso para não criar má imagem de promoção falsa, de descontos enganosos, que desestimulariam a sua principal data de vendas do ano, cujo movimento é maior do que o próprio Natal.

Importante registrar que a criação dessa data promocional foi muito oportuna para o varejo, pois as lojas precisavam abrir espaços para receber de seus fornecedores os produtos novos que seriam ofertados para o Natal e fim de ano, ou seja, precisavam colocar para fora o que tinham em estoque.

Enquanto por aqui ficamos contentes com 3 datas comerciais importantes, como o Dia das Mães, o Natal e, mais recentemente, a Black Friday; e mais três ou quatro outras datas menos importantes para o varejo - como Dia dos Pais, Dia dos Namorados, Dia das Crianças -, os americanos dão “nó em pingo d’água” para vender e incentivar o consumo.

Como prometi no início deste artigo, as principais datas promocionais americanas realmente utilizadas pelo varejo são:
• Fevereiro: Super Bowl - Grammy Awards - Valentine’s Day - Oscar Night
• Março: Women’s Day
• Abril: National Pet Day - Easter Holy Week
• Maio: Mothers Day – Memorial Day
• Junho: Best Friend Day– Father’s Day
• Julho: Independence Day
• Agosto: Book Lovers Day
• Setembro: Labor Day
• Outubro: Halloween
• Novembro: Veteran’s Day– Thanksgiving– Black Friday
• Dezembro: Cyber Monday– Green Monday– Free Shipping Day– Christmas Day
New Year’s

Que tal nossas entidades representativas do varejo procurarem se unir e, sem imitar mais ainda os americanos, pensarmos algo a respeito?

Afinal, ações de incentivo às compras não fariam nenhum mal e o varejo e a indústria agradeceriam muito, com certeza!

Airton Manoel Dias
Consultor de Empresa, Palestrante
Diretor do Fórum Couromoda