Home > Notícias
21/02/2019

Proposta da reforma da Previdência prevê economia de R$ 1,16 trilhão em 10 anos

A proposta da reforma da Previdência apresentada nesta quarta-feira (20) ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro prevê uma economia de R$ 1,16 trilhão em 10 anos. A proposta foi recebida com elogios pelo mercado e espera-se que seja aprovada ainda no primeiro semestre. Com ela, o Brasil ganharia maior credibilidade internacional - atraindo investimentos e melhorando sua nota nas agências de classificação - e disporia de mais recursos para superar gargalos como a infraestrutura insuficiente. Ao mesmo tempo, estes investimentos poderiam contribuir para a maior geração de empregos, renda e impostos, num círculo virtuoso. Entre as mudanças, destacam-se as novas idades mínimas para aposentadoria (65 para homens e 62 para mulheres), o aumento do tempo de contribuição mínima (de 15 para 20 anos), a mudança na alíquota de contribuição (de acordo com faixa salarial) e a inclusão dos servidores nas regras do INSS, com transição mais rigorosa. Considerada a mais ambiciosa da reformas, a proposta para a nova Previdência necessitará de muita articulação política e mobilização de forças organizadas da sociedade para que ela avance dentro da ideia original. Neste contexto, o empresariado precisa unir esforços e pressionar parlamentares para aprovação da PEC.

Janeiro animador: fluxo de visitantes em shoppings do país cresce 5,4%
O fluxo de pessoas nos shopping centers do País em janeiro cresceu 5,4% em relação ao mesmo mês do ano anterior, de acordo com levantamento realizado pelo Ibope Inteligência em parceria com a consultoria Mais Fluxo. Os shoppings da Região Metropolitana de São Paulo tiveram destaque no mês, com crescimento de 7% no fluxo de clientes. Os centros de compra paulistas têm mostrado aumento no número de visitantes desde o segundo semestre do ano passado.

Presidente Jair Bolsonaro tem alta, volta a Brasília e reformas devem avançar
O presidente Jair Bolsonaro recebeu alta do hospital Albert Einstein, em São Paulo, e embarcou para Brasília já na tarde desta quarta-feira (13). A tendência agora é a de que as reformas avancem. O texto-base da reforma da Previdência, por exemplo, foi concluído pela equipe de governo e agora aguarda a análise de Bolsonaro. Conforme o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente dará a palavra final sobre o projeto que será enviado à Câmara dos Deputados.

Mais da metade das empresas planeja aumentar quadro de funcionários, aponta pesquisa
Mais da metade das empresas do Brasil tem planos para aumentar o quadro de funcionários em 2019, revela pesquisa realizada pela Amcham Brasil com 550 executivos de todo País e obtida com exclusividade pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. Conforme o levantamento, 51% relatou que vai contratar mais profissionais ao longo do ano, seja pela abertura de novas posições ou pela expansão de equipes já estabelecidas.

Investimento externo deve chegar a US$ 80 bilhões em 2019
Ao que tudo indica, a confiança internacional no novo momento vivido pelo Brasil voltou com intensidade. A previsão do relatório Focus para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2019, subiu de US$ 79,5 bilhões para US$ 80 bilhões. Para 2020, a estimativa dos analistas avançou de US$ 80 bilhões para US$ 82,44 bilhões. O relatório Focus é resultado de levantamento feito na última semana com mais de 100 instituições financeiras e teve nova versão divulgada nesta segunda-feira, dia 11 de fevereiro.

Economistas projetam crescimento do PIB e inflação menor em 2019
O boletim de mercado conhecido como relatório “Focus” - resultado de levantamento feito na última semana com mais de 100 instituições financeiras - divulgado nesta segunda-feira (11) mantém a previsão de crescimento do PIB em 2019 e projeta uma inflação ainda menor. Para o PIB deste ano, a estimativa é de incremento de  2,50%, o mesmo vale para 2020, 2021 e 2022. Os economistas do mercado financeiro baixaram, pela quarta semana seguida, a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2019, desta vez de 3,94% para 3,87%.