Home > Notícias
30/11/2018

Ruas que valem ouro


Causeway Bay, em Hong Kong; e Upper 5th Avenue, em Nova Iorque: as duas ruas mais valiosas do mundo

De acordo com a trigésima edição do relatório “Main Streets Across the World”, que usa dados do Cushman & Wakefield, que examina 446 das principais ruas comerciais do mundo e as classifica de acordo com as rendas, a Via Montenapoleone em Milão, na Itália, está em quinto lugar em todo o mundo com os seus 13.500 euros por metro quadrado. Quem lidera o ranking é a Causeway Bay, em Hong Kong (24.606 euros por metro quadrado), que após cinco anos supera a Upper 5th Avenue, em Nova Iorque, nos Estados Unidos (20,733 euros por metro quadrado, significativamente mais baixos do que 28.000 euros no ano passado). Em terceiro na lista surge a  New Bond Street em Londres, na Inglaterra (16.071 euros por metro quadrado), e, logo após, a Avenue des Champs-Élysées em Paris, na França (13.992 euros).

Em nível europeu, a rua de luxo de Milão vem em terceiro lugar, novamente após as duas artérias de Londres e Paris. Na lista Europeia outras quatro ruas comerciais italianas se posicionam no top 10: além de Milão, na quarta posição está a Via Condotti em Roma, onde as rendas médias são 11.500 euros por metro quadrado, em sexta posição a Calle San Moise em Veneza (6.000 euros por metro quadrado) e em oitava posição a Via Roma, em Florença (5.800 euros por metro quadrado).

Com uma renda média de 11.232 euros por metro quadrado, Ginza em Tóquio ocupa a posição mais alta nas ruas asiáticas. Na outra ponta da classificação, as ruas dos mercados emergentes da África e da América Latina, com taxas médias de 185 euros por metro quadrado.

Crescimento & queda
Em nível europeu, o crescimento mais significativo das rendas foi marcado por Baixa em Porto (Rua de Santa Catarina), um aumento de 30,4%, enquanto a queda mais acentuada (-24%) foi, no entanto, registrada em Istambul, em Bagdat Caddesi. Nas Américas, as compras aumentaram mais na Alameda Lorena, em São Paulo, com +62,5%, enquanto a queda mais significativa foi em Chevy Chase, Washington DC (-33,3%). Por fim, no que diz respeito aos mercados asiáticos, o maior crescimento foi registrado em Makati (Região Metropolitana de Manila), nas Filipinas, onde as taxas aumentaram 69,3%.

Leia também:
Mudanças no topo do comando da Nike; Elliott Hill, porém, segue presidente
The Mall Sanremo: o novo templo para as compras de artigos de luxo na Europa
Descubra o que poderia levar a Amazon à falencia, segundo Bezos
Simac Tanning Tech: espaço esgotado e foco na questão ambiental