Home > Notícias
11/09/2018

Sem medo de fazer diferente

No setor de feiras comerciais, é raro encontrar um evento que chegue aos 45 anos ainda relevante para o mercado, com credibilidade e propostas capazes de gerar vendas importantes e, em especial, negócios novos para seus expositores e visitantes.

A Couromoda tem conseguido isso graças a uma política de trabalho “inquieta”, que vive em permanente prospecção global, identificando tendências e detectando, muito antes da concorrência, mudanças econômicas, sociais e tecnológicas que impactam os mercados em velocidade e desdobramentos cada vez maiores.

Por ter vivenciado o dia a dia da empresa por quase 25 anos, eu poderia citar inúmeros exemplos de inovação e transformação que a Couromoda propiciou à indústria de calçados e a toda a cadeia setorial. Entre eles, os mais importantes talvez tenham sido as ações, ainda nas décadas de 70/80, para tirar os empresários do universo restrito das linhas de produção e colocá-los nas vitrines do consumo mundial.

Pioneirismo
Numa época em que marketing e relacionamento ainda eram conceitos ignorados pela maioria das empresas, o esforço maior da Couromoda foi fazer a indústria descobrir um valor que o próprio setor não imaginava possuir. Ir ao encontro dos melhores compradores no país e no exterior, investir em design e em tecnologia, desenvolver boas práticas de gestão e governança, construir marcas e definir conceitos de produto, e investir em novas mídias para comunicar-se com o mercado, foram pauta para inúmeras iniciativas da Couromoda, seja através de sua feira anual, seja por meio de ações nos polos de produção e nos grandes centros de consumo. Aquelas “ideias revolucionárias do Francisco” foram vencendo resistências. Entre acertos e erros, mostraram resultados reais e abriram caminhos novos para o desenvolvimento do setor.

Depois que isso foi assimilado, tudo foi diferente. Não que o mercado tenha ficado mais fácil. Ao contrário, as barreiras comerciais e contingências econômicas se acentuaram e continuam se multiplicando. No entanto, a confiança adquirida pelo setor, a autoestima empresarial e a perda do medo de fazer diferente funcionaram como um chip que, inserido no organismo setorial do calçado, tornou-o mais forte, mais criativo, saudável e atualizado. É inegável – e reconhecida mundialmente –a grande contribuição que a Couromoda deu, e segue dando, para a longevidade, a importância econômica e o sucesso como gerador de renda e cidadania hoje apresentados pela indústria e o varejo de calçados & acessórios do Brasil”.

Ana Jussara Leite
Consultora de Comunicação e Ações de Conteúdo especializada em feiras de Negócios.
Foi diretora de Comunicação do Grupo Couromoda