Home > Notícias
09/01/2020

Singapura é a nova Hong Kong

Singapura já tomou o lugar de Hong Kong na análise de bancos de investimento. Como destacado pela Fashion Network, de fato, as contas dos grandes nomes do luxo, como Kering, Hermès e LVMH, atenuaram bastante a agitação em Hong Kong, mas isso não significa que suas receitas na região tenham saído ilesas. Na verdade, no terceiro trimestre, a Kering viu suas vendas caírem 35%, enquanto o impacto na LVMH foi de -25%, e marcas como Versace e Hugo Boss até culparam as manifestações de maneira mais significativa.

Nesse clima incerto, portanto, surgiram dados destacados pela Goldman Sachs, segundo os quais nada menos que 3 ou 4 bilhões de dólares em depósitos deixaram Hong Kong desde agosto. E, no mesmo período, os depósitos em moeda nos bancos que operam em Singapura atingiram um valor recorde de 9,4 bilhões de dólares.

“Vale lembrar que, embora Hong Kong e Singapura sejam frequentemente descritas como rivais econômicas ferozes, elas atendem a mercados muito diferentes”, afirmou Eugene Tan, professor de direito constitucional da Singapore Management University. “Hong Kong é um centro econômico importante para a região da China, enquanto Singapura é uma participante importante na Ásia, exceto a China”.

Quanto ao mercado de luxo, no entanto, Singapura, devido à qualidade de vida, ao bem-estar dos habitantes, à economia e ao turismo, parece um destino perfeito para o luxo, tanto o europeu quanto outros também. Tan continua: “O desafio para os principais players do mercado é oferecer uma verdadeira experiência de luxo em Singapura, levando em conta as restrições de espaço e a uniformidade de produtos e serviços desse mercado. Na minha opinião, Singapura deve se concentrar absolutamente na dimensão experimental do setor de luxo, e não no consumismo simples e muitas vezes banal associado ao setor.”

Apesar disso, os problemas civis em Hong Kong terão um impacto negativo em Singapura e em toda a região. A situação em Hong Kong aumenta a incerteza econômica global já existente. Isso alimenta uma perda de confiança por parte dos investidores, com impactos nos aportes e atividades econômicas da região.

Leia também:
Nike: vendas no último trimestre fiscal crescem 10%, totalizando US$ 10,3 bilhões
Micam apresenta a Micam X, iniciativa dentro da mostra italiana dedicada a materiais, sustentabilidade e varejo
Bottega Veneta reinventa a “Pouch”
Morre o estilista francês de origem italiana Emanuel Ungaro