Home > Notícias
14/02/2019

UBS cria relatório que orienta quem quer investir em grifes de luxo na bolsa

Ações de luxo, quais comprar e quais vender? O UBS explica como fazer isso e, com seus analistas, criou um relatório. Milano Finanza é quem escreve. Entre as ações para comprar por serem caracterizadas por margens de crescimento concretas, existem: Kering (+8% desde o início do ano, mas seu aumento potencial é de 48%); Hermès (+11% desde o início do ano, contra um possível +23%); LVMH (+8% comparado a um potencial +29%) e Hugo Boss, que caiu 12%, mas tem um potencial de crescimento de 36%.

Entre os títulos para não comprar estão: Tod (-23% desde o início do ano) e Ferragamo (-6%) definido como “a ser vendido”. E Richemont (-20%), cuja classificação é neutra. Depois, duas “surpresas” chegam, já que seu desempenho desde o começo de 2018 era positivo, mas para o UBS elas mantêm uma classificação neutra. Uma é a Prada (10%) “porque o preço-alvo é de 31 dólares de Hong Kong, 6% acima dos preços atuais”. O outro é Moncler (+16%), que possui “um preço-alvo de 39 euros, o que implica um potencial de aumento de 30%”.

Para estas duas marcas, para Moncler mais do que para Prada, os respectivos preços-alvo estabelecidos por analistas ou consultores são muito altos e realizáveis apenas com um crescimento desconcertante em que o UBS prefere não apostar.

Quem vai estar certo?

Leia também:
Living coral é a cor de 2019
Segmento industrial de calçados e vestuário dos Estados Unidos com classificação positiva, a primeira desde 2015
Na Rússia, o preço das roupas e calçados aumentará entre 5% e 20% em 2019
Aos 58 anos, morre Blake Nordstrom, co-presidente da varejista norte-americana de mesmo nome