Home > Notícias
08/02/2019

União Europeia e Japão: começa o livre comércio entre países que compreendem 1/3 do PIB mundial e 600 mi de pessoas

Com fevereiro, entra em vigor o acordo Jefta, entre a União Europeia e o Japão. O tratado cria uma zona de livre comércio que abrange mais de 600 milhões de pessoas (e cerca de um terço do PIB mundial). Ele eliminará a maioria das tarifas pagas anualmente pelas empresas da UE que exportam para o Japão, assim como uma série de barreiras regulamentares.

Sua aplicação conduzirá, desde o início, à eliminação de tarifas sobre 90% das exportações da UE para o Japão. Cecilia Malmström, comissária responsável pelo comércio, afirmou: “É um acordo completo em todos os aspectos, que elimina as tarifas e oferece uma contribuição importante em termos de padrões globais, mostrando ao mundo que ambos os lados continuam convencidos das vantagens do livre comércio. A partir de 1º de fevereiro, as empresas europeias são beneficiadas pela eliminação de tarifas e simplificação de procedimentos aduaneiros. Todos os fabricantes, fornecedores de serviços, empresas de tecnologia e agricultores da UE podem comemorar o acordo”.

O tratado é particularmente bem-vindo para o made in Italy. Contudo, o setor da moda pode celebrar apenas em parte as vantagens tarifárias imediatas. Com relação ao couro e ao calçado, o sistema atual prevê, de início, uma ligeira melhoria. Após o acordo, as tarifas sobre calçados serão reduzidas de 30% para 27,3% e de 27% para 24,5% para algumas linhas tarifárias, para serem completamente eliminadas ao longo dos próximos dez anos.

As tarifas sobre exportações de produtos de couro da UE, como bolsas, para os quais o imposto em vigor varia de 16% a 14% com base na linha tarifária, serão eliminadas dentro de dez anos, assim como as tarifas sobre calçados esportivos e para esqui, que tradicionalmente possuem alta proteção no Japão. Resumindo: é só esperar...

Leia também:
LVMH: um 2018 de recordes positivos
Feira Mipel 115 traz de volta grandes marcas de bolsas e acessórios de couro
Santoni e Church’s: não só homens
El Corte Inglés vende a casa?