Home > Notícias
22/09/2020

Varejo avança 10 anos em 60 dias

A restrição do funcionamento do comércio não essencial durante a pandemia do novo coronavírus impulsionou o pequeno e médio empresário do varejo a se reinventar, a fim de garantir a sustentabilidade de seus negócios. E a saída encontrada por eles foi o investimento no modelo profissional de negócios digital.

Segundo Luciana Duarte e Fernando Cartier, especialistas em marketing digital e em profissionalização de departamentos de marketing, que lideram o movimento X500, houve uma evolução surpreendente em apenas 60 dias nesse modelo de negócios. “Essa transformação levaria, em um cenário habitual, cerca de 10 anos, pelo menos 10 anos”, avaliam. O crescimento da demanda por pequenos e médios varejos em apenas um mês foi de 30%.

A busca pelo varejo esteve centrada na construção de plataformas de e-commerce para vendas de seus produtos online. “Eles perceberam que as redes sociais não iriam atrair um volume de negócios que sustentassem suas empresas. E, apesar de as marketplaces serem uma vitrine interesse, o pequeno varejista concorre com milhares de outros vendedores, que ofertam o seu produto. Isso significa que existe uma boa chance de o comprador não o encontrar”, explica Luciana.

Assim, os especialistas recomendam aos empresários a construção de sua presença digital e, para isso, são necessários cinco passos, que incluem a construção de seu site próprio, seja ele para e-commerce, institucional ou uma plataforma com estratégia digital. Além disso, é importante que a loja adquira um domínio na internet. “Não dá para o empreendedor ficar pulando de galho em galho, sem consolidar sua marca digitalmente, pois ele não será reconhecido e ficará a mercê da aleatoriedade de escolha do comprador”, ressalta Luciana.

No caso das redes sociais, o empreendedor não é dono da plataforma e está sujeito as mudanças no algoritmo (conjunto de diretrizes para execução de uma tarefa), que podem diminuir consideravelmente seus resultados. Conforme ressalta Luciana, cada vez mais, a plataforma concentra seus esforços e interesses para monetização de si mesma. Isso significa que a preocupação em gerar ferramentas para vender o seu negócio é secundária.

A aceleração da profissionalização do marketing digital é um processo positivo para o varejo porque possibilita atender todos os públicos, aqueles que preferem o consumo offline e os que aderiram as compras online.

“Essa mudança no comportamento do empresário permitiu uma democratização desse modelo de negócios profissional. Por isso, os pequenos e médios varejistas estão dispostos a investir mais no mundo digital e encontram agências ou especialistas para execução de um planejamento assertivo”, finaliza Luciana.