Home > Notícias
01/10/2017

Vendas para o Dia das Crianças podem crescer em até 5% em São Paulo

Ticket médio de presentes dos consumidores deve ser entre R$ 50,00 e R$ 100,00

O “Dia das Crianças” é uma importante comemoração para o crescimento do varejo paulista e os lojistas já consideram esse período como um termômetro que vai indicar o caminho da economia brasileira no último trimestre do ano.

De acordo com pesquisa de expectativa de vendas realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), regiões como Capital, ABC e Litoral pretendem aumentar em até 5% o volume de vendas no Dia das Crianças, na comparação com 2016.

“Estamos entrando em um cenário econômico otimista se comparado ao início do ano. Sendo assim, as datas comemorativas do último trimestre têm grande potencial para alavancar o comércio. No entanto, não devemos ignorar o cenário de incerteza política e nem comparar com anos em que as vendas estavam em alta. A situação ainda é de recessão”, afirma o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff.



Confira as expectativas de cada região do Estado de São Paulo:

Capital
Na capital do Estado há uma previsão de um leve aquecimento das vendas para o Dia das Crianças. No Dia das Crianças em 2016, a capital teve um crescimento real no volume dos produtos de 3%, enquanto em 2017 esse número será 2% maior. O setor mais beneficiado será o de brinquedos infantis já que o ticket médio esperado para a data varia de R$ 60,00 a R$ 100,00.

ABC
A região do ABC Paulista também se vê otimista para as vendas do dia 12 de outubro. Mesmo com uma pequena expectativa para aumento de volume, o ticket médio esperado é alto, indo de R$ 100,00 a R $150,00 voltado para roupas e brinquedos.

“A data deve proporcionar um aumento de receita substancial principalmente para os setores de entretenimento, vestuário, indústria de brinquedos e segmento de alimentação”, diz o presidente da CDL de São Bernardo do Campo, Marcello Alexandre, em análise ao primeiro semestre.

Litoral
Com uma visão positiva para o Dia das Crianças, o Litoral pretende dobrar o volume de vendas para a data. Em 2016, a CDL de Praia Grande apostou em 10% de crescimento, sendo que, neste ano, vai alcançar os 10%. Segundo o presidente da CDL, Antônio Luiz de Souza, mesmo com os problemas enfrentados pelo varejo no ano passado e no primeiro semestre, o comércio da cidade deve melhorar no último trimestre. Os consumidores devem gastar principalmente em lojas de brinquedos infantis, além de contarem com um ticket médio que varia entre R$ 100,00 e R$ 150,00.

Interior
Mais conservadores, as CDL’s do interior esperam um crescimento leve, ou nulo, cidades como Cruzeiro, Botucatu, Barretos, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto pretendem aumentar o volume para vendas de 3% a 5%.

“O primeiro semestre foi muito desfavorável, para não dizer péssimo. Já para o último trimestre esperamos alguma melhora, porém está longe de ser bom”, comenta o gerente geral da CDL de Botucatu, Ronaldo Bassetto.

O ticket médio para o Interior é bem menor se comparado a outras áreas do estado de São Paulo. A CDL de Cruzeiro prevê um valor a partir de R$20,00 alcançando como limite R$ 50,00. Já outras cidades como Botucatu, Barretos e Ribeirão Preto acreditam no gasto de R$ 40,00 a R$ 100,00.


Em Minas Gerais, consumidores devem gastar, em média, R$ 120,61 com presente

Com relativa melhora dos indicadores econômicos, os consumidores devem gastar mais este ano com o presente do Dia das Crianças. Isto é o que mostra a pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), realizada entre os dias 11 e 30 de agosto com 392 consumidores. O tíquete médio para as compras dos belo-horizontinos é de R$ 120,61. O valor apresenta um crescimento de 1,8%, comparando-se com o mesmo período de 2016.

Assim como o tíquete médio, a intenção dos consumidores de presentear neste Dia das Crianças aumentou. 80,4% dos entrevistados afirmaram que irão comprar presentes, esse percentual cresceu 9,09%, em relação ao ano anterior.

“A redução da inflação, dos juros e o leve decréscimo na taxa de desocupação no segundo trimestre de 2017, na comparação com o primeiro trimestre deste ano, contribuíram para esse resultado positivo”, explica o presidente da CDL/BH, Bruno Falci.

Brinquedos, roupas e calçados estão entre os presentes preferidos
Os brinquedos serão os itens mais procurados neste Dia das Crianças, de acordo com 45,4% dos entrevistados. Já para 28,1% as roupas são o produto ideal para presentear e em seguida estão os calçados (13,1%), jogos e materiais esportivos (4,4%) e cosméticos e perfumes (2,1%). “Essas escolhas acompanham o mesmo resultado obtido em 2016. A expectativa é que, em média, cada consumidor compre 2,0 presentes para o Dia das Crianças”, analisa Falci.