Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Pesquisa Clima Empresarial feita pelo LIDE revela tímida melhora

Ao final do evento foi apresentada a 103ª edição da Pesquisa Clima Empresarial LIDE-FGV, realizada com 450 empresários presentes ao almoço-debate, que revelou tímida melhora nos resultados. “Os índices continuam apontando notas baixíssimas em todas as esferas, do Municipal ao Federal”, avaliou Fernando Meirelles, responsável pela pesquisa e presidente do LIDE CONTEÚDO. O índice, calculado pela Fundação Getúlio Vargas, é uma nota de 0 a 10, resultante de três componentes com o mesmo peso: governo, negócios e empregos.

A eficiência gerencial e o desempenho dos governos obtiveram: 1,1% para a esfera federal; 5,2% para estadual; e 1,7% para municipal. Poucos empresários – apenas 13% – vão empregar em 2015, 58% pretendem manter o quadro atual e 29% vão demitir. “Portanto, temos um saldo negativo. Temos mais empresas demitindo do que empregando”, diz o professor.

A previsão de receita continua a preocupar, segundo os resultados do levantamento: 28% acreditam que o faturamento será pior este ano em comparação a 2014. Entre os fatores que impedem o crescimento das empresas, o cenário político chegou a 49%, ultrapassando a carga tributária (34%) e a taxa de juros (1%). Entre a área que precisa melhorar, a Educação alcançou 41%, seguido de Política com 34% e Infraestrutura com 17%. O tema mais preocupante para o cenário econômico de 2015, os números apontam a Política, com 82%. Segundo a pesquisa, o clima empresarial oscilou de 2,2% para 3%, que ainda é um número muito baixo, mas melhor do que o aferido na última pesquisa.

Leia também:
Retomada das exportações é o caminho para o crescimento econômico do Brasil

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES