Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Pesquisa: Perfil do Varejo Brasileiro de Calçados e Bolsas 2012/2013 – Capítulo II

Após conhecer os perfis das lojas participantes e o mark up médio do varejo no Capítulo I da Pesquisa  (link abaixo), é hora de conferir como funciona na prática o giro de estoque no varejo de calçados. 

Segundo a Pesquisa: Perfil do Varejo Brasileiro de Calçados e Bolsas, realizada com 3.300 pontos de venda, de 200 cidades de todas as unidades da federação, existem duas realidades bem distintas. 

Capítulo II Estoque no varejo e seu giro

Pela primeira vez pode-se projetar a média real dos estoques das lojas de calçados, um item importante para o quesito competitividade. 

•    Para lojas: giro mais rápido = loja mais competitiva. 
•    Para indústrias: produto girando mais rápido = vendas maiores e contínuas.

Os resultados da Pesquisa indicam que o estoque geral do varejo brasileiro de calçados equivale a aproximadamente 110 dias de vendas. Um estoque desse nível pode ser considerado satisfatório, baixo, elevado? 

Não há como definir regra única para estoques e que sirva para todas as lojas, mas aquelas que já atuam com 90 dias de estoque, ou menos, são muito mais competitivas.

Estoques menores significam custos de estocagem e de giro mais baixos, menor índice de formação de pontas, redução nos níveis de vendas com descontos nas promoções e liquidações e menores chances de erros em compras.

Não há duvidas de que os estoques nas lojas vem se reduzindo num processo provocado, principalmente, pela baixa reposição de modelos, que são quase integralmente substituídos a cada coleção, e as contínuas renovações e lançamentos de novos produtos, aliás, como o mercado exige.

Este processo influencia diretamente a relação com os fornecedores, pois o varejo quer entregas mais rápidas (entre emissão do pedido e a chegada do produto na loja) e mais próximas do período de consumo, uma realidade mundial, conforme ficou demonstrado nas apresentações realizadas no Congresso Mundial do Calçado de novembro de 2011, no Rio de Janeiro, evento organizado pela Couromoda.

Os resultados da pesquisa permitiram “descobrir” duas realidades bem opostas: 

a)    Empresas que já estão atuando com 90 dias de estoque.
b)    Empresas que, ainda, atuam com mais de 150 dias de estoque.

Fácil concluir que a performance na gestão dos estoques, que leva a loja a atuar com uma média de menos de 90 dias sem perder vendas, é cada vez mais fundamental para o sucesso do ponto de venda.
 
Giro mais rápido alinhado com o potencial de vendas da loja, não é só importante pelo aspecto financeiro do capital investido no estoque, pois estoques menores e bem controlados refletem até na necessidade maior ou menor do próprio Mark-up, além do que é forçoso considerar que estoques de 150 dias devem estar “recheados” de produtos com giro lento ou até mesmo já sem giro.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES