Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Pesquisa: Perfil do Varejo Brasileiro de Calçados e Bolsas 2012/2013 – Capítulo III

Após conhecer os perfis das lojas participantes, o  mark up médio do varejo no Capítulo I;  o giro de estoque no Capítulo II, é o momento de conferir quais coleções os lojistas querem ter na vitrine e quando. 

Segundo a Pesquisa: Perfil do Varejo Brasileiro de Calçados e Bolsas, realizada com 3.300 pontos de venda, de 200 cidades de todas as unidades da federação, o cenário varia muito de acordo com a área de atuação e revela, por exemplo, que 100% dos lojistas das regiões Sul e Sudeste querem receber coleções de outono/inverno a partir de abril. 

Capítulo III  Lançamento e entrega das coleções


Quando o varejo quer receber as principais coleções?

Partindo da premissa que fábricas e lojas devem caminhar unidas no processo de conquista do consumidor e para o crescimento do mercado interno, a pesquisa procurou levantar uma informação importantíssima sobre os calendários de lançamentos praticados no Brasil, analisando o que ocorre na ponta: nas lojas, na venda ao consumidor, mês a mês.

A pesquisa fez uma pergunta bem objetiva aos lojistas: 

O que você quer ter em sua vitrine mês a mês?

Os resultados são de extrema utilidade a todos: fabricantes, designers, vendedores, lojistas, etc. Importante esclarecer que não há queixas com relação à quantidade de lançamentos anuais feitos pelas fábricas, pois o próprio varejo exige renovações para atrair clientes e aumentar suas vendas. 

A pesquisa, entretanto, demonstrou que antecipação na entrega de produtos, principalmente os da coleção inverno, tem provocado problemas para os estoques das lojas e gerado vendas com descontos promocionais bem antes do que seria ideal.

Com base nas observações e debates ocorridos durante as apresentações dos resultados desta pesquisa, destacamos pontos que julgamos fundamentais para análise dos interessados:

•    Fabricantes afirmam que se não lançarem inverno em novembro ficam sem pedidos para entrega fevereiro e março. 

•    Lojistas preferem comprar em novembro lançamentos verão para entrega em fevereiro/março e não inverno e completam informando que não querem comprar os mesmos modelos entregues nas lojas em novembro/dezembro. 

•    Fabricantes dizem que sabem que não faz frio em fevereiro e março e que por isso concedem 60 dias de prazo extra de pagamento para quem recebe botas em janeiro/fevereiro.

•    Lojistas informam que ao receberem botas em janeiro ou fevereiro são obrigados a colocá-las na vitrine e que não podem mantê-las em estoque por 60 dias em caixas fechadas sem chance de venda.

Uma enquete paralela a esta pesquisa junto a consumidoras, durante janeiro deste ano, indicou um fato importante que colabora com este tema, representada nas frases:

“Ao ver  vitrines com botas em fevereiro é sinal de que o inverno está chegando. Como está muito calor, a gente aguarda o frio chegar. Nos últimos anos tenho comprado botas com bons descontos em abril e maio.”

“Se já tem bota nas vitrines a gente segura um pouco mais e adia a compra.”

A pesquisa também procurou levantar o interesse do varejo em trabalhar com produtos neutros, aqueles que não sofrem tanto com relação às estações do ano, chamados de “meia-estação”, comercialmente importantes num país continental como o nosso.

Assim, a pesquisa perguntou aos lojistas o que gostariam de ter nas suas vitrines, disponíveis para venda, mês a mês, entre três opções de coleções: 

Meia-estação | Verão/Alto-verão | Outono/Inverno

Para que não fiquem duvidas com relação às tabelas abaixo, cada lojista teve a opção de informar para um determinado mês o que ele gostaria de ter à venda em suas vitrines: só verão, só inverno ou as três coleções ao mesmo tempo.
 
Vivemos num mercado amplo, com absoluta e total liberdade no quesito competitividade, onde as empresas são livres para decidir o que é melhor para seus negócios. Por isso apoiamos totalmente uma frase ouvida numa das apresentações desta pesquisa:

“Cada um compra o que quer, quando quiser”
Respeitando essa liberdade desejamos que os resultados sobre coleções sejam, acima de tudo, úteis para os que julguem ser válido rever seus calendários e ajustá-los ao padrão de consumo do Brasil. 

Na sequência os resultados por região geográfica indicando, mês a mês a % de pontos de venda que querem ter cada coleção em sua vitrine.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES