Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Ramarim inaugura nova unidade na Bahia

O Grupo Ramarim inaugurou no último dia 19, em Santo Antônio de Jesus, a 190 quilômetros de Salvador, a sua terceira unidade de produção na Bahia. A empresa investiu R$ 2 milhões na reforma do galpão – que antes era utilizado pela Dalponte e foi cedido pelo governo do Estado – e gerou 700 empregos diretos para a produção de sapatos femininos. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), o número de empregos pode chegar a 1 mil.

Instalado na Bahia desde 1997, o grupo tem sede e fábricas em Nova Hartz/RS e duas plantas em Jequié, que produzem as marcas Ramarim e Comfortflex. No total, emprega 5 mil trabalhadores. "Temos mais de 50 mil empregos no setor na Bahia. É muito mais do que a indústria petroquímica utiliza. A prioridade determinada pelo governador Rui Costa é atrair empresas de calçados e indústrias têxteis", diz o secretário de Desenvolvimento Econômico, James Correia.

A nova planta da Ramarim é parte do processo de retomada da produção calçadista no Estado. Após o fechamento de 12 unidades da Vulcabras/Azaleia, em 2012, e a demissão de quase 4,7 mil pessoas, o governo estadual intensificou a atração de investimentos no setor calçadista para utilizar os 17 galpões que ficaram sem utilização. Dos 17 galpões que ficaram vazios, 13 já estão ocupados, em cidades como Macarani, Itambé, Firmino Alves. De acordo com a SDE, a implantação de novas empresas vai gerar 5,5 mil empregos, mais do que os perdidos com o fechamento da Azaleia.

Os últimos galpões desocupados em Potiraguá, Itarantim, Maiquinique e Iguaí, no sudoeste do estado, serão utilizados pela fabricante de calçados Suzana Santos, que vai implantar quatro unidades na Bahia nos próximos meses para a produção diária de 12 mil pares. "Há muito mais demanda, mas não temos como atender a todos os pedidos. Para construir um galpão como esse, precisaríamos investir R$ 10 milhões", diz Correia.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES