Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Santa Catarina produz moda de nível diferenciado e com valor agregado

Dono de belas praias que atraem turistas de todo o Brasil, o Estado de Santa Catarina também destaca-se em nível nacional pela produção de calçados. Suas 275 indústrias produzem cerca de 25 milhões pares ao ano, especialmente femininos e comercializados no mercado nacional.

Em sua maioria, as empresas estão localizadas no Vale do Rio Tijucas, que compreende os municípios de Tijucas, Canelinha, São João Batista e Nova Trento, a cerca de 70 quilômetros de Florianópolis. Na região, operam 130 indústrias, entre elas nomes de destaque como Raphaella Booz, Século XXX, Lia Line, Contramão e Suzana Santos. Outro polo calçadista catarinense é a região sul, onde estão localizados os municípios de Sombrio, Araranguá e Criciúma. Juntas, as empresas produtoras de calçados e artefatos em Santa Catarina empregam cerca de 7,76 mil trabalhadores.

Nas exportações, Santa Catarina também registra bom desempenho. Este ano, de janeiro a julho, por exemplo, o Estado enviou a outros países 404,17 mil pares, com uma receita de US$ 5,12 milhões e preço médio de US$ 12,67. Em relação a igual período do ano passado, o desempenho representa queda de 10,9% no faturamento e aumento de 4,7% no volume de pares exportado. O desempenho equivale a quase 50% das exportações de todo o ano de 2013, que totalizaram 800,79 mil pares e US$ 11,54 milhões em faturamento.

Cuba, Peru, Bolívia e Paraguai são os principais clientes dos calçadistas catarinenses, resultado de um esforço exportador que inclui ações promocionais nestes e em outros mercados. Em 2013, estes países, juntos, compraram 404,50 mil pares, pelos quais pagaram US$ 5,54 milhões, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados).


Fontes: Abicalçados e Sincasjb


Calçado catarinense busca diferenciação pelo design

Agregação de valor e diferenciação dos produtos pelo design, juntamente com outros fatores, é o objetivo principal do Projeto de Capacitação e Desenvolvimento em Design, que vem sendo desenvolvido em conjunto pelo Governo do Estado de Santa Catarina, Sebrae/SC, Instituto da Moda Catarinense e Sindicato das Indústrias de Calçados de São João Batista (Sincasjb).

Este ano, vão ser investidos R$ 810 mil em ações como a Missão Internacional Tecnológica de Capacitação em Design e Pesquisa de Moda, em que um grupo de profissionais de São João Batista viajou à Europa, em setembro, para um curso de capacitação na Itália e pesquisas de moda em Milão, Londres e Paris.

O presidente do Sincasjb, Wanderley Zunino, afirma que os novos conhecimentos oportunizarão a incorporação, aos produtos, de novos elementos estéticos e a consequente agregação de valor. “Vamos ter ganhos significativos no que tange ao perfil do calçado produzido em Santa Catarina, o que certamente vai agradar aos lojistas e aos consumidores”, afirma o dirigente, um dos que participaram da missão. Nos dez dias em que permaneceram na Europa, os integrantes da missão visitaram lojas nas três capitais e observaram o comportamento e a diversidade cultural dos habitantes.

Integrante da missão, a consultora de moda do Sebrae/SC, Giuliana Brandão, ressalta que uma experiência internacional é sempre inspiradora, principalmente para quem nunca vivenciou um trabalho de pesquisa de moda. O diretor executivo do Sincasjb, Rosenildo de Amorim, acrescenta que a missão é uma das atividades do programa de competitividade do setor coureiro-calçadista, aprovado este ano. “O projeto não se resume à viagem. Compreende uma série de atividades por um período de dois anos, como trabalhos de pesquisa, comercialização, desenvolvimento de produto e capacitação voltados para a indústria do calçado, totalizando mais de 20 ações específicas”, destaca.

Participantes
Jandir Sagaz, da Indústria e Comércio de Cintos D’yjas, revela que a oportunidade de visitar a Europa é produtiva pessoal e profissionalmente. “Além de ver a beleza dos produtos nas vitrines, a arquitetura e os monumentos são inspiradores”, afirma.

Victor Matheus da Silva, da Shana Amorim, viajou pela primeira vez à Europa e o que mais o impressionou foi a diversidade de sapatos e o acesso a novas ideias. “Alguns chegam a custar 5 mil Euros, mas é possível adaptá-los à nossa realidade”, analisa.

Outro participante, Márcio Solon Santos, da Sara Cristina, afirma que, nas três cidades visitadas, surpreendeu-se com a valorização da cultura e, ao mesmo tempo, com a modernidade. “Em muitas galerias e lojas, ficamos encantados com a fachada e, quando entrávamos, eram mais bonitas ainda. Voltamos com muitas ideias”, finaliza.


Unidade do Senai recebe investimentos

Principal formada de mão de obra para as indústrias calçadistas do Vale do Rio Tijucas, a Unidade do Senai em São João Batista está recendo investimentos que vão ampliar a sua infraestrutura e oferecer novas possibilidades aos cerca de 600 alunos matriculados nos seus diversos cursos.

A Oficina de Apoio ao Design, que opera desde 2005, recebeu recentemente 33 novos computadores e novos softwares de modelagem, entre eles Calígula, Romans CAD, Photoshop, Corel Draw, para desenvolvimento vestuário e para desenvolvimento moldes de roupas. Os novos equipamentos e softwares já vêm sendo utilizados pelas duas turmas do curso técnico de design em calçados, com três anos de duração, além da turma de aprendizagem industrial”, afirma o diretor Rogério Oliveira de Mattos.

Para 2015, está prevista a ampliação da fábrica modelo da unidade, que prepara jovens de 14 a 23 anos para atuação nas indústrias de calçados. Atualmente cinco turmas frequentam o Curso de Aprendizagem Industrial em Confecção de Calçados, com um ano de duração. Com a ampliação, a fábrica modelo poderá receber três novas turmas de confecção de calçados e três de técnico em informática, cujos integrantes, após um ano, suprirão as necessidades das empresas locais.


Materioteca no Sincasjb

Ao lado da Unidade do Senai está localizada outra ponto de apoio às indústrias do Vale do Rio Tijucas. Trata-se da materioteca do Sincasjb, em operação desde 2013 e disponibiliza laminados, tecidos, metais, linhas e outros componentes de produção. Iniciativa conjunta do sindicato com a Associação Brasileira das Indústrias de Componentes para Couro e Calçados (Assintecal), a materioteca tem como objetivo oferecer facilidades às empresas no desenvolvimento de suas coleções. O local é constantemente abastecido por fornecedores e recebe profissionais das indústrias da região em busca de novas opções para uso em suas novas criações. Os mesmos também têm à disposição lojas especializadas e representantes de fornecedores do vale do Sinos e de outras regiões.


Lojas de calçados são atração na SC-411

O recém-lançado Projeto Turismo Cultural e Religioso – iniciativa do Sebrae/SC e da Prefeitura Municipal de Nova Trento para ampliar o número de visitantes ao Santuário Santa Paulina – também deve beneficiar o comércio de calçados no Vale do Rio Tijucas.

Aos finais de semana, é intenso o fluxo de automóveis e ônibus que dirigem-se ao santuário e param nas lojas nas lojas instaladas ao longo da SC-411, sobretudo no município de São João Batista, para que os viajantes possam adquirir calçados de diferentes marcas e estilos.

Algumas lojas pertencem a indústrias calçadistas e oferecem produtos principalmente ao público feminino. Um dos destaques é o Café Raphaella Booz, ligado à empresa de mesmo nome, um ambiente de compras sofisticado e que exibe uma variedade de modelos exclusivos aos visitantes. Além desta, outras lojas que recebem muitos turistas são o outlet da Contramão e o Pontão do Calçado.

Já na vizinha Nova Trento, as diversas lojas de calçados também pretendem aumentar o número de clientes a partir das ações do projeto, como a qualificação e profissionalização dos serviços prestados aos turistas que visitam a cidade, para que eles permaneçam por mais tempo e movimentem lojas, restaurantes e pousadas locais.

Leia também:
• Empresas catarinenses investem pesado em suas marcas

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES