Notícias

Tel.:(11) 3897-6100

pt
en
es

COUROMODA 2024

Todos os serviços para sua participação na Couromoda.

VIAGEM E HOSPEDAGEM

Oportunidade de atualização com os principais temas do mercado.

CREDENCIAMENTO EMPRESARIAL

Garanta sua credencial para a mais importante feira de calçados da América Latina.

SÃO PAULO PRÊT-À-PORTER

Feira Internacional de Negócios para Indústria de Moda, Confecções e Acessórios.

Notícias da Couromoda

Calçado no Mundo

Notícias do Setor

Colunista

Lançamentos e Moda

Mídia

Facebook
Twitter
Pinterest
[wpavefrsz-resizer]

Who’s Next Pret à Porter Paris: luzes e sombras sob a Torre Eiffel

Por
Lorenzo Raggi
Foto Shoe Milão – Especial para o www.couromoda.com

É um equilíbrio entre claro/escuro a experiência do Who’s
Next Prêt-à-Porter Paris
, que antecipou as datas de setembro
para fim de junho. A feira, em sua segunda edição na versão
unificada, teve a participação de cerca de 1.900 marcas
(eram 2.100 em janeiro passado)
com significativas presenças de
empresas da Itália, Espanha e Brasil.

Mesmo com o dinamismo dos organizadores da WSN Développement, o salão
perdeu 4% dos visitantes em comparação com a edição
de setembro de 2011, que foi uma apresentação de transição.
O dado oficial divulgado pelos organizadores do evento foi de 47.064 visitantes,
destes 36% estrangeiros contra 32% nas duas últimas edições.

Entre os visitantes internacionais, o número de europeus, excluindo franceses,
caiu 2,1% para 11.468 visitantes. Sem dúvida, uma consequência da
crise que atinge o Velho Continente. Constatou-se também uma diminuição
de 19,6% de italianos e 7,7% de espanhóis. Felizmente, as presenças
asiáticas, precisamente 2.760, cresceram 52,8%.

Outro grande crescimento foi no número de japoneses que aumentou 88,6%,
chegando a 1.682 presenças. Sabe-se que os nipônicos, estão
muito presentes em Paris neste período do ano para participar da fashion
week masculina. Portanto é difícil saber se a presença deles
em Porta di Versailles tenha sido um simples complemento de seus compromissos
ou se houvesse um real interesse no Who’s Next.

Quanto a visitação de franceses, o fato de a feira ter sido realizada
no primeiro sábado das liquidações teve, como esperado, um
impacto significativo. O número de lojistas de outars cidades caiu
mais de 21%, enquanto os visitantes parisienses, segundo o organizador, apresentaram
crescimento de 7,6%.

No entanto, não sabemos quanto tempo esses varejistas, preocupados com
a gestão das suas lojas, ficaram no Who’s Next,s e visitaram todo o salão
ou simplesmente foram ver apenas o essencial.

Todos concordam que foram feitos muitos esforços para tornar o salão
atraente. No entanto, a próxima edição será
determinante para saber se a aposta do Who’s Next Prêt-à Porter Paris
para impor-se como salão internacional de vestuário feminino foi
bem sucedida
, mesmo preservando sua peculiaridade francesa.

Sem nenhuma dúvida, os organizadores irão também dedicar
atenção especial ao setor masculino do ‘Mr. Brown’, que não
satisfez os expositores e seguramente não recebeu o número esperado
de visitantes.

E será preciso observar também os acessórios: se o “Première
Classe” – salão dedicado a calçados, bolsas, bijoux destinados
a boutiques – registrou uma boa presença de compradores.

O cenário muda, quando falamos da mostra de peleteria
e do Mess Around dedicada aos calçados, ambos destinados
aos compradores das lojas especializadas. Estes dois segmentos do Who’s Next Prêt-à-porter
Paris foram mais afetados que os outros por causa da data, muito antecipada
que impediu a presença de alguns nomes importantes como o francês
Mephisto ou o espanhol El Naturalista
, e do início das liquidações
que afastou de Porte de Versailles uma boa parte da clientela francesa.

Mas os organizadores pensam diferente. “Estamos em fase de adaptação.
É preciso lembrar que várias empresas não estavam prontas
com as amostras, mas garantiram que estarão presentes no ano que vem. Em
compensação, registramos mais de 200 novas participações,
exatamente graças às datas antecipadas. É preciso certo tempo
de experiência para se adaptar as mudanças, mas acreditamos que as
empresas participantes e visitantes conseguirão se estabilizar”, disse
Boris Provost, diretor da comunicação internacional do Who’s Next.

Leia também:

• Muito caro o luxo na China: pesam os impostos de importação, taxas e tarifas
• Jones Group compra Brian Artwood
• Nike apresenta o GreenSpeed

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MAIS NOVIDADES